Alexandre Callari, cinéfilo compulsivo, assiste praticamente a um filme por dia e, de vez em quando, resolve compartilhar a experiência na seção Assistidos e Reassistidos.

A Dark Song (2016) | Rockarama

A Dark Song
A Dark Song
Ano: 2016
Diretor: Liam Gavin
Com: Susan Loughnane, Steve Oram

Classificação:

Este filme inglês provavelmente é o melhor que já vi com o tema “invocação de um espírito”, e só não ganhou quatro estrelas porque desanda no final.

O longa inteiro é centrado nos dois protagonistas, uma mulher amargurada que contata um especialista em ocultismo (um tipo de John Constantine) para ajudá-la a falar com o filho morto. Conforme o filme passa, descobrimos que ela está mentindo para o homem e que seus propósitos são outros – o que gera consequências funestas para ambos.

Toda a parte do ritual é absurdamente tensa e bem-realizada. Não pense que a coisa ocorre em uma tarde de outono, meus amigos – aqui, os dois ficam meses trancados dentro de uma casa, preparando-se para tocar o outro lado do véu. Nesse meio tempo, pouco a pouco ambos começam a perder contato com a nossa realidade. Quando alcançam seu objetivo, as coisas vão ocorrendo aos poucos e não numa catarse; pequenos fenômenos à princípio, mas que logo tomam vulto.

Como o homem explica para Susan, a personagem central, quando ela pergunta o que está acontecendo, “Nós estamos sendo notados”, ele diz. Em outro momento, ele explica que eles querem chamar alguém que está do outro lado, “Mas outros também podem escutar”. Tudo vai preparando caminho.

Quando o Inferno irrompe, ele vem com força – pena que é tudo bem curtinho. E aí, vem aquele final moralista que me desanimou. Nem por isso, a experiência perde a validade e recomendo para os fãs de terror psicológico.

Banner Burn Artworks

Últimas notícias

SIGA O ROCKARAMA

33,630FãsCurtir
9,268SeguidoresSeguir
440SeguidoresSeguir

Leia também

Comentários

comentários