Les Binks, ex-baterista do Judas Priest, lança banda Les Binks’ Priesthood

Tudo começou como um simples show do baterista para celebrar o seu período no Judas Priest

Les Binks' Priesthood | Foto: Yellow Mustang
Les Binks' Priesthood | Foto: Yellow Mustang

Les Binks, baterista que integrou o Judas Priest entre 1977 e 1979 e fez parte dos clássicos “Stained Class” (1978) “Killing Machine” (ou “Hell Bent For Leather”, 1978) e “Unleashed in the East” (1979), lançou a sua própria banda, o Les Binks’ Priesthood.

Na empreitada, Binks conta com os guitarristas Simon J. Pinto e Gus Mark, o baixista Paul Smith e o vocalista Adam Shepherd.

Em uma recente entrevista concedida para o ex-colega de banda, o guitarrista K.K. Downing, no site Downing’s Steel Mill, Binks comentou sobre a sua decisão em criar o de iniciar o Les Binks’ Priesthood: “Eu tenho trabalhado com cada um desses músicos nos últimos anos em performances ao vivo e muitas vezes a platéia pedia músicas do Judas Priest, por causa da minha associação com banda. Então eu decidi fazer algo para tocar o material da minha época com o Judas Priest e, naturalmente, chamei esses músicos para me ajudarem a conseguir isso.”

Les continuou: “Eu quis focar no material de quatro álbuns, começando pelo ‘Sin After Sin’. Embora eu não tenha tocado nele, fui recrutado para a turnê de promoção do álbum no Reino Unido, EUA e Japão. Além dele, o meu primeiro álbum de estúdio, ‘Stained Class’, no qual ajudei a compor ‘Beyond The Realms Of Death’, o segundo, ‘Killing Machine’, re-intitulado ‘Hell Bent For Leather’ nos EUA, e ‘Unleashed In The East’, o ao vivo no Japão. Inicialmente, a banda nasceu para apenas show, no festival ‘Legends Of Rock’ realizado em Great Yarmouth todo mês de março, mas houve muito interesse e fomos encorajados a fazer mais datas, festivais etc.”

Binks admitiu que ele teve que revisitar os quatro álbuns do Judas Priest antes de começar os ensaios para o Les Binks’ Priesthood, para “decidir quais músicas tocar e reaprender as partes da bateria”. “Algumas delas têm tempos estranhos”, continua, “como a parte do meio de ‘Sinner’, a épica ‘Genocide’ e ‘Victim Of Changes’. Demorou um pouco, mas eventualmente tudo voltou e o show estava pronto.”

“Eu deliberadamente não queria tocar material do Judas Priest com o qual eu não estava envolvido, além do meu período, já que existem muitas bandas de tributo fazendo isso”, explica Binks, que acabou adicionando músicas do “British Steel” (1980) ao set. “Não queria ser rotulado dessa forma, mas, é claro, Eddie, que dirige o evento ‘Legends Of Rock’, pediu especificamente algumas coisas posteriores. Então, para manter a paz, nós tocamos ‘Breaking The Law’, ‘Living After Midnight’ e ‘You’ve Got Another Thing Comin’.”

De acordo com Les, foi “fácil” escolher os músicos para o Les Binks’ Priesthood: “Eu sabia que esses caras eram mais do que capazes de fazer justiça às músicas. Eu tenho muita sorte em tê-los a bordo e estão fazendo um trabalho fantástico.”

Downing e Binks se reaproximaram em meados do ano passado, após quase quatro décadas. Posteriormente, o guitarrista descreveu a experiência de encontrar seu ex-colega de banda como “ótimo” e nomeou Les como “um dos maiores bateristas do mundo, um bom amigo e um grande cara.”

Após o lançamento de “Unleashed In The East”, Binks saiu do Judas Priest e foi substituído por Dave Holland, ex-membro da Trapeze. Segundo Les, foi justamente a produção do trabalho ao vivo que causou a ruptura entre ele e o manager da banda. “Eu simplesmente não via sentido em continuar a trabalhar com um banda cujo empresário não queria que eu recebesse qualquer pagamento por esse álbum ao vivo. Um cenário completamente ridículo. É um clássico ao vivo do heavy metal, o qual eu acredito que eventualmente tenha sido disco de platina, e ele não queria que eu recebesse um centavo por isso. Mas isso é o que acontece se uma banda permite que alguém assim administre: perde membros. Então lá se foi o baterista número quatro.”

Les Binks, K.K. Downing e Tim “Ripper” Owens juntos em ‘Beyond The Realms Of Death’

Binks, Downing e Tim “Ripper” Owens, ex-vocalista do Judas Priest, participam da cover do Devilstar para a clássica ‘Beyond The Realms Of Death’, que estará disponível para streaming e plataformas digitais no dia 1º de junho. Este será o primeiro lançamento da banda, que é liderada pelo guitarrista produtor Paul Crook.

Antes de entrar no Judas Priest, Les Binks trabalhou com o cantor inglês Eric Burdon e gravou o álbum “The Butterfly Ball and the Grasshopper’s Feast” (1974), de Roger Glover, baixista do Deep Purple. Também foi parte da banda Fancy. Após “Unleashed in the East”, seguiu carreira integrando nomes como Axis Point, Lionheart, Tytan, The Shakers, Raw Glory, Kindred Spirit e outros.

Judas Priest em 1978: Glenn Tipton, Les Binks, Rob Halford, K.K. Downing e Ian Hill | Foto: divulgação
Judas Priest em 1978: Glenn Tipton, Les Binks, Rob Halford, K.K. Downing e Ian Hill | Foto: divulgação

Confira vídeos ao vivo do Les Binks’ Priesthood:

Sioux 66 banner

Últimas notícias

SIGA O ROCKARAMA

35,307FãsCurtir
10,141SeguidoresSeguir
460SeguidoresSeguir

Leia também

Comentários

comentários