AC/DC gravará com Axl Rose? Chris Slade despista…

Com a morte de Malcolm Young e aposentadoria de Cliff Williams, futuro que Angus Young decidirá para banda não foi revelado, mas elementos apontam para um possível novo álbum

Se o AC/DC gravará com Axl Rose ou não, somente Angus Young pode responder | Foto: divulgação
Se o AC/DC gravará com Axl Rose ou não, somente Angus Young pode responder | Foto: divulgação

AC/DC gravará com Axl Rose? Essa é a pergunta que todo fã da banda australiana faz, gostando ou não do frontman do Guns N’ Roses, que desde 2016 ocupa o posto do querido Brian Johnson e o legado do saudoso Bon Scott.

Chris Slade, baterista do AC/DC, mantém os “lábios estão selados” quando se trata de responder perguntas sobre a possibilidade da banda fazer um novo álbum de estúdio com Axl Rose no vocal.

O AC/DC completou o ciclo de turnês para o álbum “Rock or Bust” (2014) há quase dois anos, e foi uma jornada turbulenta que resistiu à aposentadoria forçada e subsequente morte do co-fundador Malcolm Young, além das saídas do antigo cantor Brian Johnson, o baterista Phil Rudd e o baixista Cliff Williams. Os fãs se perguntaram se Angus Young, guitarrista, figura central e o único membro fundador, manteria a banda em funcionamento ou decidiria que era hora de colocar um ponto final no AC/DC.

O cantor Angry Anderson, da banda veterana australiana Rose Tattoo, disse em entrevista ao The Rockpit que Angus comentou com ele que está trabalhando em novas músicas para o AC/DC e pretende ter o líder do Guns N’ Roses, Axl Rose, cantando no trabalho.

AC/DC gravará com Axl Rose? “Se eu disser, tenho que te matar”, brinca Slade

Perguntado pela Duke TV se há planos para o AC/DC gravar um novo álbum com Axl, Chris Slade riu e disse: “Meus lábios estão selados. E se eu soubesse, não conseguiria dizer uma palavra de qualquer maneira. O que eu costumo dizer é que, se eu disser, tenho que te matar”. Ele riu novamente e prosseguiu: “Isso [matar o repórter], provavelmente, não seria de bom gosto. Eu não poderia nem começar a responder a isso, receio.”

Com Axl nos vocais, o AC/DC experimentou uma série músicas um pouco mais raras durante os shows europeus e americanos da banda há dois anos, incluindo ‘Given The Dog A Bone’, ‘Rock ‘N’ Roll Damnation’, ‘Riff Raff’, ‘Touch Too Much’ e ‘If You Want Blood (You’ve Got It)’.

“Axl, ele realmente perguntou… Eu estava bem ao lado dele quando ele perguntou a Angus: ‘Podemos fazer essas músicas?'”, revelou Slade. “E eu adoro tocar ‘Riff Raff’, sempre gostei. Na verdade, nós fazemos isso com a [minha banda solo] Timeline. Todas essas músicas foram ótimas, e os fãs as amaram – absolutamente adorei. Porque eles queriam para ouvir essas músicas também. Axl é um grande fã de AC/DC e são músicas que ele gostaria que a banda tocasse. Claro, são músicas antigas, mas novas para a banda tocando no palco. Eu não acho que eles tocaram ‘Riff Raff’ no palco por cerca de 25 anos, talvez até 30. Eu sei que eles costumavam abrir com ela, não é? Mas não tocaram desde então.”

Chris também falou sobre Malcolm Young, que foi diagnosticado com demência há vários anos e decidiu parar antes das gravações de “Rock or Bust”. Infelizmente, o guitarrista morreu em novembro passado.

“Ele era um gênio do ritmo”, disse Slade à Duke TV. “Provavelmente, eu sempre achei, o maior guitarrista rítmico já nascido. Simplesmente tremendo. Tinha um timing maravilhoso. Apenas absolutamente brilhante. Ele fez o meu trabalho tão fácil.”

E Chris relembrou um episódio com o antigo companheiro: “A única vez que ele me chamou a atenção foi quando eu tive uma massagem energética. Eu lembro que era no Novo México, na estrada, e o show foi no dia seguinte, então eu tive uma massagem com uma senhora indígena americana e ela disse: ‘Amanhã, você terá tanta energia, não saberá como lidar com isso’. E eu meio que dividei, ‘sim, ok’. Fui tocar na noite seguinte, e eu estava realmente acabado. Eu nunca usei drogas, diga-se de passagem, então não é uma analogia. Nunca usei drogas em toda a minha vida. No meio do show, Malcolm se inclinou para mim e disse: ‘Você está empurrando. Você está correndo na frente’. E eu estava. Nunca faço isso, não corro ou arrasto. E essa foi a única vez que ele meio que disse: ‘Talvez você esteja fazendo errado’.”

“[Malcolm] era um grande homem e um compositor genial – ele e Angus – e um guitarrista genial”, continuou Chris. “Ele faz muita falta. Stevie faz um ótimo trabalho – não há dúvida sobre isso”, referindo-se a Stevie Young, sobrinho de Angus e Malcolm, que passou a ocupar o lugar do tio na banda antes da gravação de “Rock or Bust”. “É um ato difícil substituir Malcolm, um dos mais difíceis no mundo da música, eu diria. Não há muitas pessoas que poderiam fazer isso, e Stevie fez um ótimo trabalho.”

Johnson foi forçado a deixar o AC/DC no meio da turnê devido a um nível perigoso de perda auditiva, enquanto Rudd foi demitido após uma prisão por drogas e Williams decidiu se aposentar no final do ciclo.

Angus não disse publicamente o que planeja para o futuro do AC/DC. Axl ainda está em turnê com o Guns N’ Roses, mas indicou a vontade de trabalhar com o AC/DC novamente. Também não se sabe se Angus manterá os outros membros da última formação em turnê – incluindo Stevie Young e Chris Slade – ou reformular tudo.

Chris Slade, que integrou o AC/DC de 1989 a 1994, retornou a banda no início de 2015 a tempo de se apresentar com a banda no 57º Grammy Awards.

Na sua primeira entrada, Slade substituiu Simon Wright, juntando-se ao AC/DC a tempo para tocar no álbum “The Razor’s Edge”, de 1990. Quando Phil Rudd voltou, em 1995, Slade foi dispensado e, na ocasião, ficou magoado.

Independente se o AC/DC gravará com Axl Rose ou não, muitos fãs questionam o sentido da banda prosseguir sem Malcolm Young, Cliff Williams e Brian Johnson. Mas, no final das contas, quem baterá o martelo será Angus.

Confira abaixo a entrevista (em inglês) de Chris Slade à Duke TV:

Sioux 66 banner

Últimas notícias

SIGA O ROCKARAMA

34,384FãsCurtir
9,631SeguidoresSeguir
459SeguidoresSeguir

Leia também

Comentários

comentários